Sinais Claros que Indicam o Fim de um Relacionamento

Detalhes do comportamento e da linguagem corporal podem deixar bem claro se o término se aproxima

Oi, aqui é a Lorena! E preparei esse artigo que quando um relacionamento chega ao fim e um dos dois não queria, é difícil aceitar a situação sem tentar, pelo menos por um tempo, retomar a relação.

É óbvio que cada casal possui suas particularidades e formas de levar um relacionamento adiante.

Pedidos desesperados de reconciliação, telefonemas de madrugada jurando amor eterno, perseguição nas redes sociais, súplicas, choros e cenas de humilhação são comuns, nesses casos. Algumas vezes, há retorno. Outras, não.

A parte difícil é perceber se tudo isso significa mais que uma fase ruim: será o fim de uma história de amor?

Os sinais da mudança no clima do relacionamento podem ser sutis no início, mas a distância entre o casal aparece inevitavelmente. Fica claro quando os dois têm mais frustrações e decepções que alegrias.

Eles deixam de cumprir o que imaginavam fazer quando começaram a vida juntos. Os carinhos diminuíram, assim como as risadas. O sexo esfriou e as brigas são constantes. Sintomas de uma relação em crise são facilmente identificáveis.

As questões cotidianas também ganham um peso maior quando há conflitos emocionais. Os pequenos defeitos do outro parecem enormes, por exemplo.

Para os homens, o que era visto como bondade passa a ser visto como falta de assertividade na companheira. Nesse clima se percebe a perda da admiração pelo outro.

Assim, queixas objetivas, como as financeiras, viram motivo da discórdia e as reclamações específicas se transformam em críticas à pessoa.

Será possível saber se um relacionamento não tem mesmo mais volta?

Os sinais mais claros de que não há chance de retorno é quando não existem mais objetivos em comum nem desejo.

Quando um lado diz que o interesse acabou, o melhor é respeitar. Quem está sendo deixado pode até pensar diferente, mas o pior método é tentar vencer pela insistência. Não se obriga ninguém a gostar de você.

Abaixo, estão alguns dos principais fatores para as separações e os sinais evidentes de que seu relacionamento pode estar chegando ao fim:

Eles sentem desprezos um pelo outro

Dá pra imaginar um casal que dê certo sentindo desprezo um pelo outro? Comportamentos como aquela clássica virada de olho em sinal de aversão ou xingamentos não têm espaço em relacionamentos saudáveis.

O desprezo é uma das ações mais perigosas e cruéis em qualquer relacionamento. A forma mais adequada de resolver tudo ainda é a conversa. Esta conversa deve ser primeiro consigo, e da maneira mais franca possível.

É se perguntar: ‘O que eu quero para mim?’, ‘Como posso ser feliz com essa pessoa?’, ‘O que pode acontecer se não der certo?

Um dos parceiros teve um caso e não resolveu as questões que o levaram à infidelidade

A afirmação: “uma vez traidor, sempre traidor” não é totalmente verdade, mas também não traz nada de bom para um casal se um dos parceiros que foi infiel não entendeu as razões pelas quais ele traiu: o que ele sentiu que estava faltando no relacionamento?

Por que ele não colocou as cartas na mesa e compartilhou os problemas com a parceira ou parceiro? Nós não podemos ser definidos pelos nossos erros, mas devemos aprender com eles.

Também se ressalta os riscos de trair a confiança do parceiro: Não importa a razão, escolher pisar fora da linha da fidelidade pode te fazer ter ainda mais vontade de fazer o mesmo quando os tempos forem difíceis. E nem sempre a vida à dois é fácil, certo?

Então, por isso mesmo é preciso entender as razões da traição e o traidor deve trabalhar com dedicação para consertar esses erros.

Seus planos futuros não incluem um ao outro

Aquele mochilão que você sempre sonhou fazer começa a ganhar ares de realidade e você nem cogita ir acompanhada?

Ou então mozão comenta que está organizando a viagem de férias e não pergunta se você quer ou pode ir junto? Sinal de alerta!

É natural e até saudável que cada pessoa tenha sua individualidade mesmo quando está em um relacionamento, mas momentos a dois fortalecem a relação.

Se não há equilíbrio nesse ponto, há uma fragilidade.

Resolvendo os conflitos

Se não há mais amor ou interesse, dificilmente uma relação tem volta. Mas se for apenas um desgaste ou situações cotidianas que levam a estremecimentos, vale conversar e tentar acertar os ponteiros.

O que pode determinar o fim da união é mais a dinâmica emocional que o casal vai estabelecer diante do conflito do que um motivo específico.

E os motivos para divergências são vários: falta de desejo sexual, cobranças, discussões constantes, brigas por dinheiro, desacertos na educação dos filhos e hábitos que desagradam o outro lado.

Nessas horas, antes que a situação se torne inviável, a alternativa mais razoável é conservar. O casal deve dialogar, expressar seus sentimentos e renegociar mudanças e novas formas de lidar com situações rotineiras.

A crise pode ser benéfica, se for passageira. Porém, se for persistente e intensa, é importante buscar ajuda profissional para melhorar a qualidade do relacionamento e superar os conflitos.

Mesmo porque conflitos constantes podem levar a rompimentos definitivos. Ou, antes, ao aparecimento de uma terceira pessoa, o que revela a existência de distanciamento afetivo, insatisfação, insegurança, frustrações ou a temida perda do amor e do desejo.

Há um desequilíbrio de poder

Essa é uma causa comum em vários divórcios causados por esse desequilíbrio. Qualquer forma de grande discrepância de poder entre os dois, como ela ser mais velha e ele mais novo ou vice versa, ela ser graduada e ele não, ele ser rico e ela pobre, ela ser bonita e ele não ser tão atraente assim, pode acabar causando problemas em um relacionamento.

Para não permitir que esse tipo de coisa abale um relacionamento, é preciso que o casal se livre de preconceitos e não se abale por opiniões alheias.

Se um dos dois for preconceituoso, a tendência é que o relacionamento não dure muito tempo.

Vocês não têm mais conversas gostosas

Quando está tudo bem, um casal conversa de boa sobre qualquer coisa e tudo é motivo para um papo. Mas quando as coisas vão mal… isso meio que morre.

Não existe mais a vontade de ter uma conversa gostosa, mesmo que seja aquela boba, em que se dá risada por nada. Não há mais cumplicidade. A coisa está indo por água abaixo.

O relacionamento está morno

Sabe quando estar ou não com a pessoa é a mais perfeita definição de tanto faz? Se você sabe que é a relação em que está atualmente, abra os olhos.

Se nada no outro lhe move ou pelo menos lhe incomoda, isso é indiferença. É o fim do amor. Isso é um comportamento muito comum, embora não exclusivo, dos homens.

Quando eles não estão mais a fim, costumam sustentar o relacionamento só para continuar na zona de conforto. Os homens são mais acomodados.

Um dos membros do casal se sente sozinho no relacionamento

É normal estar sozinho de vez em quando, mas se sentir sozinho por muito tempo, mesmo em um relacionamento, é algo extremamente perigoso.

Relacionamentos servem para tirar essa sensação de solidão e, pessoas que se sentem sozinhas mesmo namorando provavelmente estão presas em um relacionamento que não serve mais às suas necessidades emocionais.

Todos temos a necessidade de sermos amados, aceitos, respeitados e apreciados pela outra pessoa. Quando você está em um relacionamento, você obviamente espera por isso, mas se esses desejos não forem atendidos, a solidão normalmente é o resultado.

A verdadeira solidão é o sentimento que temos quando queremos intimidade com alguém mas a outra pessoa não se conecta conosco da forma que esperamos.

Quando isso acontece, normalmente o relacionamento está perto do fim. Além de observar esses sinais, para fazer um casamento ou namoro funcionar, é preciso se dedicar e querer que tudo dê certo.

Vão existir momentos difíceis, situações complicadas e horas de angústia. Por isso, não basta amar, é preciso querer amar.

O amor acabou

Por fim, ainda que a pessoa se empenhe em trabalhar muito a relação e em fazer a sua parte, nem sempre somos donos dos sentimentos próprios e muito menos dos alheios.

Por isso, às vezes o amor simplesmente acaba, pelo menos, para uma das partes. E essas despedidas são as mais difíceis, porque sempre resta o carinho e o medo de machucar.

muitas pessoas que tentam tudo antes de assumir que não gostam da pessoa da mesma forma do que quando decidiram escolhê-la para viver com ela, para se casar…

Isso as faz mentir para si próprias e à outra pessoa, sendo infelizes e tentando procurar escapatória em outros aspectos, estar sempre com outras pessoas, trabalhar 24 horas por dia, fugir sempre que for possível de estar com o outro etc.

Se esse for seu caso, talvez seja a hora de parar de se esconder e dar o passo.

E sempre que uma porta é fechada, uma janela se abre, para nos lembrar que sempre há tempo para voltar a se apaixonar.

Separar ou dar uma chance?

Se um relacionamento caminha para o fim, não quer dizer que já está enterrado. Por um lado o término é a resposta para todas as frustrações, mas há o receio da precipitação.

Às vezes as pessoas só enxergam o caminho do fim e não testam outras possibilidades.

O que determina se a relação tem condições de continuar é a disposição do casal em tomar atitudes e dialogar sobre as insatisfações. Sem essa renovação, a tendência é que a união “empobreça e morra”.

Para ele, o que diferencia os casais bem sucedidos dos interrompidos é a capacidade de enfrentar e solucionar problemas.

Para dar uma chance ao amor, é preciso renovar a relação e rever projetos a dois. O fim do relacionando, em geral, não é equivalente ao fim do sentimento.

Mas se o esforço para salvar um casamento ou namoro é grande demais, é possível que mesmo amando uma das partes desista de tentar.

Vale resgatar até o último segundo, mas às vezes você põe todas as suas forças e não tem salvação. E com o esgotamento, a relação não tem volta.

Recomendado Para Você:

O que você achou? Deixe seu comentário aqui!
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.