Saúde Digestiva: Como está a sua Saúde Digestiva?

Descubra como a Alimentação pode influenciar na Saúde Digestiva

Oi, aqui é a Lorena! Preparei esse artigo para explicar como a alimentação pode influenciar na sua Saúde Digestiva.

Sua Saúde Digestiva é diretamente afetada pelos alimentos que você come e seu estilo de vida. Ao seguir dicas para melhorar a digestão, você estará melhorando sua saúde como um todo e a sensação de bem-estar.

O surgimento de algum tipo de distúrbio digestivo, como distensão abdominal, constipação ou diarréia, azia ou queimação, peso no estômago após se alimentar, refluxo gástrico, gases, dentre muitos outros sintomas desagradáveis, pode ser um sinal o indicativo de alguma patologia do aparelho digestivo.

Descubra como a Alimentação pode influenciar na Saúde Digestiva

Quem nunca reclamou de uma queimação ou um incômodo estomacal depois de exagerar na comilança? Sintomas como azia e queimação são muito comuns e fazem parte do vocabulário das pessoas, especialmente dos adultos. O cafezinho, a feijoada, a cervejinha… todos conhecemos bem o desconforto causado pela comida que não caiu bem.

Uma dieta adequada pode minimizar incômodos e ser fundamental no tratamento de determinados quadros.

O caminho que o alimento percorre pelo corpo até sua eliminação é literalmente longo: para atravessar a extensão de cerca de 9 metros de aparelho digestivo leva de 18 a 30 horas, sendo 6 delas apenas no estômago.

As doenças crônicas do trato-gastrointestinal, estão entre as principais causas de morte. A gravidade dessas doenças pode variar muito de acordo com o estilo de vida do indivíduo. Má alimentação, sedentarismo, fumo e álcool são agravantes que podem levar a sérias complicações.

Mas, quando esses sinais tornam-se frequentes é preciso ficar alerta para doenças que podem prejudicar seriamente a nossa saúde.

A importância desse sistema é vital para o organismo. Sem a absorção correta dos nutrientes, a saúde fica seriamente comprometida, por esse motivo qualquer anormalidade no seu funcionamento é sinal de alerta. Enfermidades no sistema gastrointestinal podem comprometer a nutrição adequada, levando a situações que necessitam de cuidados especiais.

Os principais sinais de problemas no sistema digestivo envolvem uma variedade de sintomas: perda de peso sem razão aparente, dor ou cólicas no abdômen, náuseas e vômitos, inchaço, queimação estomacal, azia, constipação, entre outros. Havendo repetição do quadro, constantemente, requer acompanhamento médico, a fim de determinar uma possível infecção ou doença crônica.

Algumas doenças mais comuns são a diarreia, prisão de ventre, infecções intestinais, faringite, gastrite, apendicite, pancreatite e o câncer que é uma das maiores causas de morte, especialmente entre os homens.

Doenças gastrointestinais interferem significativamente na absorção de nutrientes importantes como vitaminas e sais minerais, acarretando em outros problemas como anemia, enfraquecimento dos ossos e desidratação.

A importância da Dieta Equilibrada

Uma dieta equilibrada é recomendável à todas as pessoas, porém em casos de pacientes de doenças do sistema digestivo torna-se indispensável. Tanto para prevenir sintomas, como durante o seu tratamento, a alimentação adequada é fundamental.

Porém, existem situações muito específicas que podem determinar a abrangência da dieta a ser seguida, sendo indispensável um acompanhamento médico.

Pacientes que passam por esse quadro podem tirar proveito de dietas comuns como as apresentadas abaixo, mas é indispensável o acompanhamento de um nutricionista e o diagnóstico correto antes de qualquer atitude em relação a alimentação:

  • Dieta Hipercalórica: voltada para pessoas com dificuldade de ganhar peso ou pacientes que precisam recuperá-lo. Alimentos ricos em carboidratos e gorduras boas (azeite, ômega 3, massas integrais) podem compor a alimentação dos pacientes que precisem de maior aporte calórico.
  • Dieta Hiperproteica: voltada para pessoas que precisam ganhar massa muscular, mas não podem ou precisam restringir o consumo de carboidratos. Constituída em sua maioria pelo consumo de carnes magras, verduras e laticínios é uma alternativa para aqueles que não podem consumir gorduras, mas precisam manter o peso.
  • Dieta Especializada: situações muito específicas podem acarretar na necessidade de uma dieta individual desenvolvida para atender especialmente a necessidade do indivíduo. Cirurgias bariátricas, Tratamentos de Câncer do trato digestivo, Doença Celíaca (intolerância ao glúten), e outras situações gastrointestinais podem exigir nutrientes muito específicos que só podem ser oferecidos através da suplementação.

Reduzindo os sintomas

Alguns alimentos devem ser terminantemente evitados por aqueles que sofrem de irritações ou doenças gastrointestinais: gorduras, frituras, processados e carnes gordurosas levam mais tempo para serem digeridas e aumentam a chance de refluxo, azia e queimação, além de serem totalmente proibidos em alguns quadros.

A cafeína pode causar irritação na mucosa estomacal, por isso é bom consumir com cautela alimentos como café, chocolates e chás por estimularem o sistema digestivo. Bebidas alcoólicas e gaseificadas são consideravelmente prejudiciais, pois além de irritar causam pressão e dilatação do volume estomacal.

Alimentos picantes e cítricos podem aumentar a acidez no sistema digestivo, trazendo desconforto ao paciente.

Para finalizar, uma dica muito valiosa é opte por carboidratos complexos, farinhas e massas integrais que possuem maior concentração de fibras, eles auxiliam na digestão e na manutenção da flora intestinal.

Recomendado Para Você:

O que você achou? Deixe seu comentário aqui!
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.