Fibromialgia: Diagnósticos, Causas e Sintomas

Fibromialgia ativa sistema nervoso e causa dores exaustivas

Oi, aqui é a Lorena! E o artigo é sobre a Fibromialgia que caracteriza-se por dor crônica em vários pontos do corpo, especialmente nos tendões e nas articulações.

A fibromialgia é uma doença silenciosa e não detectável em exames laboratoriais, e muitas vezes é encarada como um transtorno apenas psicológico, mesmo quando as dores constantes gerem até depressão no doente.

Trata-se de uma patologia relacionada com o funcionamento do sistema nervoso central e o mecanismo de supressão da dor que atinge, em 90% dos casos, mulheres entre 35 e 50 anos, mas também pode ocorrer em crianças, adolescentes e idosos.

Pacientes com fibromialgia podem apresentar dor difusa, fadiga, insônia, déficits de memória e depressão. Até pouco tempo atrás, o médico tinha de apalpar 18 pontos dolorosos do corpo para detectar a síndrome.

A dor da fibromialgia pode ser intensa e incapacitante, mas não provoca inflamações nem deformidades físicas.

Entretanto, pode estar associada a outras doenças reumatológicas, o que pode confundir o diagnóstico.

O quadro é ainda pior quando o doente sofre com a descrença e desconfiança de quem está ao seu redor, ou que duvidam da legitimidade da condição.

Diagnósticos

Os critérios de diagnóstico da fibromialgia são:

  • Dor difusa em cinco a sete partes do corpo por mais de três meses;
  • Cansaço crônico;
  • Problemas de memória e concentração;
  • Insônia e sono não reparador;
  • Diarreia ou prisão de ventre frequentes;
  • Vontade constante de urinar;
  • Suor em excesso;
  • Sensibilidade ao frio;
  • Presença de pontos dolorosos na musculatura (11 pontos, de 18 que estão pré-estabelecidos).

Deve-se salientar que muitas vezes, mesmo que os pacientes não apresentem todos os pontos, é feito o diagnóstico da doença e o tratamento iniciado.

Estes critérios são alvo de inúmeras críticas, pois não avaliam sintomas importantes e muito frequentes, como a alteração do sono e fadiga.

Ainda não existem exames laboratoriais complementares que possam orientar o diagnóstico.

Quando são feitos, o intuito não é identificar a doença, e sim descartar outras condições que podem provocar sintomas semelhantes.

Causas

A causa específica da doença é desconhecida. Sabe-se, porém, que os níveis de serotonina são mais baixos nos portadores e que desequilíbrios hormonais, tensão e estresse podem estar envolvidos em seu aparecimento, como:

Estresse e traumas

Términos de relacionamentos, perdas, baques profissionais, problemas em casa, traumas na infância e acidentes de carro que afetam a região do pescoço servem de gatilho para o distúrbio ou para o seu agravamento.

Distúrbios psíquicos

Depressão e ansiedade são comuns em portadores da síndrome e podem tanto desencadeá-la quanto ser uma consequência da dor crônica e da fadiga.

Menos fibras nervosas

Portadores da condição apresentam uma menor densidade de fibras nervosas na epiderme, o que ajudaria a explicar as dores constantes e que surgem após um leve toque na pele.

Agentes infecciosos

O transtorno pode dar as caras após infecções bacterianas e virais. Além disso, seus portadores ficam mais sensíveis ao frio, à umidade, ao excesso de esforço e a oscilações hormonais.

Sintomas

  • Dor generalizada e recidivante;
  • Fadiga;
  • Falta de disposição e energia;
  • Alterações do sono que é pouco reparador;
  • Síndrome do cólon irritável;
  • Sensibilidade durante a micção;
  • Cefaleia;
  • Distúrbios emocionais e psicológicos.

Tratamento

O tratamento da enfermidade exige cuidados multidisciplinares. No entanto, têm-se mostrado eficaz para o controle da doença:

  • Uso de analgésicos e anti-inflamatórios associados a antidepressivos tricíclicos;
  • Atividade física regular ajuda contra as dores da fibromialgia;
  • Acompanhamento psicológico e emocional;
  • Massagens e acupuntura.

Recomendações

  • Tome medicamentos que ajudem a combater os sintomas;
  • Evite carregar pesos;
  • Fuja de situações que aumentem o nível de estresse;
  • Elimine tudo o que possa perturbar seu sono como luz, barulho, colchão incômodo, temperatura desagradável;
  • Procure posições confortáveis quando for permanecer sentado por muito tempo;
  • Mantenha um programa regular de exercícios físicos. Pode parecer contra a intuição, mas o movimento regular ajuda a prevenir crises de dor;
  • Considere a possibilidade de buscar ajuda psicológica;

Muitas vezes, quem tem fibromialgia é desacreditado por parentes e até por profissionais, o que pode abalar a saúde mental e agravar o quadro.

Recomendado Para Você:

O que você achou? Deixe seu comentário aqui!
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.