Dicas de Como Fazer Sexo por Videoconferência

Sexo online para esquentar a relação durante a quarentena

Oi, aqui é a Lorena! Preparei esse artigo para saber se você já teve uma conversa “picante” com alguém em redes sociais? Se a resposta for sim, você não está só.

Com a quarentena provocada pelo coronavírus tem deixado os serviços de videoconferência em alta.

Diversas atividades que até então eram desenvolvidas em encontros físicos agora são feitas de forma virtual pelo Zoom, Skype ou Google Meet, por exemplo.

É o caso de reuniões de trabalho, aulas, exercícios físicos, consultas médicas e até encontros amorosos.

Manter o diálogo, tentar quebrar a rotina e estar aberto a novidades estão entre as orientações para trabalhar a conexão com o parceiro. Vale abusar de emojis, palavras picantes, nudes e até vídeo.

Além desses usos mais óbvios e tradicionais, as chamadas de vídeo também têm sido usadas para atividades mais inusitadas, como encontros de clubes de sexo e baladas virtuais com direito a ingresso VIP.

No início, tudo é uma descoberta, há desejo, surpresa e o sexo é um momento de euforia. O problema é que, com o passar do tempo, muitas relações esfriam e a falta de contato com o outro fica ainda mais evidente durante o isolamento social.

Essa diminuição na atividade sexual vem, em grande parte, pela perda de conexão e diálogo entre o casal. A rotina, a falta de conversa, o estar sempre cansado. Tudo isso proporciona um distanciamento do outro e consequentemente a falta de desejo.

Fatores que ficam mais evidentes na quarentena, pois aquele casal que mal se tocava, agora é obrigado a conviver em tempo integral.

Pesquisas mundo afora estão confirmando que o interesse das pessoas em sexting (conversas sexuais, em inglês) e sexo virtual (do inglês cybersex) aumentou nas últimas semanas por causa do distanciamento social.

Além disso, pessoas mais jovens, que vivem sozinhas, se sentem solitárias e já têm tendência a buscar sensações novas são as mais propensas a trazer novidades para a vida sexual nesse momento.

Dinâmicas

Temos duas dinâmicas: os solteiros que, sem poderem se encontrar pessoalmente com os parceiros, acham uma maneira de suprir essa necessidade fisiológica pela videoconferência, e os casais que, antes da pandemia tinham programas para sair da rotina , como viajar ou ir a motéis, mas estão se adaptando à nova realidade para sair da mesmice.

O sexo virtual é um processo muito parecido com o sexo na vida real: a gente passa por fases.

Muitas pessoas não se sentem preparadas para enviar nudes aos parceiros de primeira por falta de intimidade, vergonha ou pelo risco de exposição não autorizada e optam por palavras “picantes” e emojis.

Outro motivo importante para o uso das figuras é também a possibilidade de dizer que o envio foi engano caso a intenção não seja recíproca.

Converse sobre fantasias

Não é só fazer sexo, é preciso falar de sexo. É apenas por meio da conversa que o parceiro passa a conhecer os desejos do outro e a construir uma relação onde há espaço para explorar novas possibilidades.

É comum que homens e mulheres liguem o fato do parceiro trazer novos elementos (massagens e brinquedos) à infidelidade, quando na verdade é essa falta de abertura para a novidade que gera casais frustrados e infiéis.

A liberdade tem que ser trabalhada no casal. É dessa forma que ambos vão poder realizar seus fetiches e serem sexualmente realizados um com o outro.

Brincadeira de adulto

Não foi apenas o sexo virtual que teve crescimento. A aquisição de objetos sexuais, como vibradores, aumentou consideravelmente durante a quarentena. As vendas aumentaram 150% desde que isso tudo começou, principalmente entre as mulheres, que são o foco do meu negócio.

Apesar do distanciamento social, é necessário que as pessoas tomem cuidado com sua segurança e privacidade na internet, para não que não tenham problemas mais tarde com conteúdos vazados de propósito ou por acidente.

As recomendações continuam sendo as mesmas para situações presenciais ou virtuais. Todo cuidado é pouco!

Isolamento e prática

O isolamento social, praticado em muitos países desde março, está fazendo com que muitas pessoas fiquem sozinhas por um longo período de tempo. E sintam mais tesão.

O cérebro já tem a memória de experiências sexuais armazenada, porque a gente tem um repertório pré-definido com base nas nossas relações físicas.

O que muda é a adição de novos elementos como os nudes, os vídeos, os emojis… esse velho repertório que serve como referência.

Clube de orgia

Existem alguns clubes do sexo que estão usando videoconferências para manter suas atividades em tempos de pandemia.

O clube tem promovido reuniões por vídeo entre seus integrantes com sessões que podem chegar a até 55 transmissões simultâneas. Além disso, há shows e atrações que os participantes encontrariam nos encontros convencionais.

As sessões são realizadas com áudio mudo para todos os conectados e comunicação exclusivamente por meio de chat mediado por um administrador. Homens sozinhos não podem participar e é preciso pagar uma taxa de participação.

Usar a imaginação

Em tempos de Internet, muito da criatividade usada no passado acabou sendo deixada de lado. Acredite, sua imaginação muitas vezes pode ser mais poderosa e garantir mais prazeres do que um vídeo aleatório de sexo na internet!

Recomendado Para Você:

O que você achou? Deixe seu comentário aqui!
Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.